CONFRED 2015

Essa semana teve início o CONFRED 2015, um evento que reúne diversos designers ou profissionais da área ou áreas relacionadas e cada um dá a sua contribuição sobre seu foco de trabalho ou áreas e assuntos sobre os quais se identificam ou têm mais conhecimento e passam essa informação em forma de palestras e hangouts e eu não tinha nenhum tipo de expectativa, mas tenho que dizer que estou gostando muito!

Muito direcionado para profissionais independentes, freelancers e conversas e palestras sobre tudo que trabalhar dessa forma demanda de conhecimento, organização e diversidade das capacidades para que dê certo trabalhar dessa forma.

Lógico que nem tudo é perfeito, mas prefiro focar em tudo de bom que tenho visto e, o maior destaque é para a vontade das pessoas de passarem seus conhecimentos e experiências que eu considero super valiosas – alguns com décadas de erros e acertos, de conhecimentos adquiridos e acumulados!

Infelizmente perdi duas palestras de ontem, uma delas que queria muito ter visto, mas quem sabe consigo ver nas palestras que serão reprisadas.

Mais sobre o evento

Além de todas as palestras e hangouts gratuitas nos horários estipulados, existe a possibilidade de assinar como VIP e ter acesso à todo o conteúdo, quando quiser e receber vários outros benefícios. Benefícios esses que não param de crescer, já que a cada palestra que acontece existe a chance de algo novo ser adicionado à essa pilha de presentinhos que acompanham a assinatura. Mas ainda que fosse só pelas palestras e obter décadas de experiência processada e digerida, sugestões de leituras ou referências e, o mais legal é que conseguiram unir pessoas de áreas muito diversificadas do design e, com isso, acabou me servindo de lembrete do motivo pelo qual eu não poderia fazer outra coisa na vida!

Como trabalho, talvez… Mas existe algo bem fundo num designer que não tem como deixar de existir… UM desses bichinhos com vontades, desejos próprios que me consomem e me fazem tão feliz!

 

PS: Enquando assistia a palestra de 10am, me senti extremamente motivada e culpada por não ter tempo de sentar a recriar o layout daqui. Mas um dia sai!

Discover weekly – Semana 01

Toda semana o spotify me surpreende com 30 músicas que combinam comigo.
Para minha surpresa, desde a primeira semana dessa quase novidade, venho descobrindo que o spotify com sua playlist “Discover weekly” sabe melhor do que eu o que eu quero, devo e gosto de ouvir.
E nessa última semana não foi diferente!

Minha lista dessa semana com as imperdíveis em destaque:

  1. True love – Tobias Jesso Jr
  2. Valerie (Live BBC Radio) – Amy Winehouse
  3. Dancing on my own – Ruins
  4. Like a rose – Maria Gadú, Jesse Harris
  5. Over you – Ingrid Michaelson
  6. Have a little faith in me – John Hiatt
  7. My everything – Ariana Grande
  8. Hold you in my arms – Ray LaMontagne
  9. Cold Coffee – Joe Miles
  10. World spins madly on – The Weepies
  11. Only you – Matthew Perryman Jones
  12. Knock knock – Brunettes Shoot Blondes
  13. Little talks – Corey Gray, Alexi Blue
  14. Pra você dar o nome – 5 à seco
  15. As you are – Kimbra
  16. Singular – Anavitória
  17. Velha infância – Tribalistas
  18. Older chests – Damien Rice
  19. Time after time – Everything But The Girl
  20. Drive – The Well Pennies
  21. Like I can – Sam Smith
  22. That’s what’s up – Lennon & Maisy
  23. What would I do without you – Drew Holcomb & The Neighbors
  24. Candle in the wind – Ed Sheeran
  25. Celeste – Ezra Vine
  26. Dançando – Agridoce
  27. Headlights – Tor Miller
  28. Little moments – Rathborne
  29. It’s time – Gavin Mikhail
  30. It’s a man’s, man’s, man’s world – Young the Giant

As grandes surpresas foram as músicas nacionais.
Me apaixonei pelo estilo do grupo 5 à seco; Soa como uma boa lembrança – ainda que recém-criada.
E a letra de Singular me deixa boba-alegre pensando no amor que se deve viver!

Life goes on!

E como dizia o antigo título do meu blog, a vida continuou!
Infelizmente nesse processo eu perdi o hábito de escrever em um blog, ou mesmo de acompanhar os que tanto gosto!
Mantive o hábito – ou vício – em internet e de escrever, mas a verdade é que há algum tempo voltei a me apaixonar por blogs e, ao revisitar antigos blogs e blogueiros que seguia e com os quais mantinha contato, ao conhecer novos blogs, profissionais e pessoais, sobre feminices ou sobre áreas do meu interesse, esse bichinho da saudade começou a me incomodar. Incomodou tanto até que finalmente resolvi que era hora de voltar a ter um blog! Ainda estou pensando se vale a pena resgatar o histórico, mas por enquanto acho que o ideal é começar a escrever num caderno novo, com cheirinho de nova fase!

Bem-vindos!