Aquelas coisinhas

Post-it Lembrar de respirar
Existem muitas razões para escolher trabalhar em um home office de forma independente, mas com certeza aquelas coisinhas sobre as quais decidi escrever hoje não fazem parte dessa lista.

Tem dias em que você se planeja, pensa e repensa até ter o seu dia perfeitamente organizado, mas mesmo assim no final tudo acaba de cabeça pra baixo! Hoje foi um desses dias.

O dia começou cedo, muito cedo! Decidi que queria cozinhar antes de começar o dia de trabalho. E aconteceu a primeira coisinha do dia: O pão que resolvi fazer deu errado, o fermento não quis fermentar…
Entre massa, descanso e tempo para assar, aproveitar para limpar e arrumar algumas coisas – empolgação total porque não dá pra perder o ânimo tão fácil quando ainda se tem tanto dia pela frente.

Sentei e comecei a trabalhar, enviei e-mail que precisava enviar.
Toca o telefone: Minha operadora.
Me aborreço, gasto tempo falando no telefone ouvindo o telemarketing ativo. Quando tento tirar uma dúvida ela já tinha desligado.
Decido ligar e tirar minha dúvida sobre consumo inexistente. Gasto um tempo conversando, explicando, tentando resolver. Mas claro, só resolvo ligando novamente porque só outro setor pode cuidar disso…

E mais tempo foi necessário para trocar e-mails sobre exames que preciso fazer, sobre coisas que preciso comprar e continuava a limpeza do meu teclado.
Finalmente comecei a pesquisar para um potencial projeto para ver se será possível e compatível, decidindo se eu sou ou não a designer para esse cliente e então: Coisas de família…

Essas pequenas coisas não são nem um pouco atraentes, normalmente não são legais e demandam mais tempo do que deveriam. Eu gosto de seguir meu planejamento, mas infelizmente quando se trabalha de forma independente existem dias em que tudo acontece e aparecem muitas coisas para resolver e só você pode fazer isso. Mas essas são apenas pequenas coisas em meio a tantas outras na vida em um home office, como freelancer. É preciso saber lidar sem perder o ânimo, porque no final do seu horário de trabalho, muitas vezes, seu dia está só começando!

Segunda-feira no home office

home office desk
Segunda-feira para muitos é o dia mais desesperador. Não só acaba com o final de semana, também te joga no ritmo louco de outra jornada de 5 dias que parecem nunca ter fim, mas a segunda-feira no home office pode ser bem diferente! E essa é só uma das vantagens de trabalhar no estilo home office.

Como hoje tive um dia tranquilo pensei em fazer um post contando um pouquinho da importância das manhãs de segunda-feira e como isso reflete no resto da minha semana.

O que pode acontecer numa segunda-feira?

Segundas costumam ser dias incertos por aqui. Hoje, por exemplo, foi uma manhã de segunda onde escolhi dormir. Simplesmente dormir e descansar, pois estava precisando – outra grande vantagem de um home office é poder respeitar suas reais necessidades. Me permito fazer isso, pois, a menos que tenha alguma entrega marcada para manhã de segunda, ainda tenho toda uma semana de trabalho pela frente e aquelas horinhas que usei para ter um melhor início de semana rapidamente serão compensadas.

Outra coisa que acontece é que às vezes as manhãs de segunda são viajando de volta pra casa. (LDR ♥) Sendo assim, contar com as manhãs de segunda como horário produtivo não é uma boa ideia. Então preferi abraçar a situação e tirar o melhor proveito disso.

Mas em uma segunda-feira, que chamarei de normal apenas por ser o ideal do meu planejamento, quando acordo faço as coisas de sempre… Checo redes sociais e mensagens pessoais, tomo um banho, o café da manhã e assisto a um episódio de alguma série que esteja acompanhando (a do momento é Once Upon a Time).

E começa a minha semana!

Abro o Spotify e com a discover weekly começo a arrumar minha mesa e meu entorno. Me livro dos papéis que não vou precisar nunca mais, arquivo os que não vou precisar no momento ou que já concluí, organizo lápis e canetas espalhados, limpo meu ambiente de trabalho, pois sei que um ambiente tumultuado me faz sentir tumultuada e minha capacidade de focar fica bastante reduzida.

Com a mesa arrumada e já bem desperta, vejo quais atualizações no youtube me interessam naquele momento. Minha principal dica de canal para checar às segundas é o Doodle Date,  que é atualizado aos domingos.

E então vou aos e-mails. Limpo as caixas de entrada, marco o que preciso rever e responder e, se for uma resposta que possa dar, já respondo. Caso contrário, como quando preciso enviar algum arquivo que precisa passar por alguma revisão, alteração ou finalização, volto para responder em outro momento.

Com e-mails organizados, faço a revisão da ToDoist, tento fazer uma ou duas vezes por semana, sempre acrescentando as tarefas conforme elas aparecem.

Com tudo isso pronto, abro minhas agendas – de mesa e do google – e começo a trabalhar. Anotando os horários em que iniciei e finalizei cada ciclo de trabalho. Chamo de ciclo porque é assim que funciona pra mim. Eu divido meu dia em 3 ou 4 partes, ou ciclos, dependendo do quão envolvente seja e quão envolvida esteja em um desenvolvimento do projeto, ou de quão apertado esteja meu prazo. Normalmente um ciclo é de 2 a 3h de trabalho, sendo que quando é um trabalho muito desgastante, seja por repetição ou por uma necessidade extra de atenção aos detalhes, onde precise renovar o olhar constantemente para evitar erros, trabalho utilizando o método pomodoro.

Normalmente pela manhã faço um ciclo, à tarde outros dois e um à noite. Nesses ciclos me divido entre design, arte, empreendedorismo, atendimento, fotografia, marketing, prospecção, estudos, redes sociais, projetos pessoais, blogs, todas as coisas pessoais… E loucura! Porque quando penso no quanto quero fazer sempre me acho louca, mas o prazer de fazer essas coisas variadas sempre esteve presente em mim, assim como a vontade de dominar todo o processo e, foi assim que após a minha última tentativa de trabalhar em ambiente externo tive ainda mais certeza de que home office era a coisa certa pra mim. E isso, com certeza, será assunto recorrente em muitos outros posts!